Programa de Ano Sabático - Viajar & Trabalhar

by - janeiro 19, 2019


Normalmente o ano sabático (gap year, em inglês) é procurado por aqueles que preferem ir viajar e fazer voluntariado, por exemplo. Isto é, a ideia de ano sabático é mais associado a isso e usualmente o público-alvo são jovens que terminam o secundário e preferem ir conhecer o mundo antes de ir para a universidade. Isto é um conceito muito americano, certo? Mas, eu dei de caras com este site no verão passado quando andava à procura de algo que me fizesse mudar de vida e que me ajudasse a concretizar objectivos/sonhos que tenho. Entrei em contacto com eles, avancei com a inscrição e cá estou eu, a realizar um objectivo meu.

Como funciona esse programa? - Para a opção Viajar & Trabalhar, vocês têm três opções de áreas: Au Pair, Quintas e Herdades, Hotéis e Restaurantes. Eu optei pela última opção até porque sou da área e acho que é uma mais-valia. Dentro dos Hotéis e Restaurantes há uma variedade de países onde vocês podem fazer este programa. Eu li todos com atenção e, como um dos meus objectivos era juntar dinheiro para poder alcançar outros objectivos, dei muita importância ao salário. Terminei com a Islândia e a Austrália como possíveis destinos. Eu queria muito ir para a Austrália mas optei pela Islândia porque, uma vez que ainda estou em recuperação das cirurgias, achei melhor ficar mais perto de Portugal para o caso de me acontecer algo.

Qual o valor deste programa? - Eu investi quase 1000€ (não me recordo agora ao certo do valor mas sei que esteve perto) que inclui a taxa de inscrição e o trabalho que a empresa tem em entrar em contacto com o país que eu escolhi e procurar emprego por mim.

Compensa pagares a uma empresa para arranjar emprego por nós? - É um investimento  elevado, é certo. Os programas para a Islândia e para a Austrália são os mais caros. No entanto, eu preferi investir este dinheiro e ter a certeza de que saía de Portugal com emprego e casa no país que escolhi. Podia ter procurado sozinha mas tenho a noção que seria mais difícil e eu não vinha para a Islândia sem ter nada certo. Acho que é uma boa opção para todos aqueles que procuram sair do país, ter uma experiência destas mas têm receio de procurar sozinhos.

O que garantem? - A inscrição é um valor não reembolsável mas se a equipa não encontrar nada, o valor pago até então é reembolsado. No entanto, no caso de tudo correr bem, como foi o meu caso, até agora não tenho razões de queixa. Eles foram sempre prestáveis e desde que estou na Islândia que me mandam emails para receber algum feedback e saber se está tudo bem comigo. É sempre uma segurança para mim pois se algo correr mal, tenho este "intermediário" que está presente por um ano e se precisar de ajuda, entro em contacto com eles.

Que tipo de emprego arranjam? - Vai depender sempre do tipo de país e do programa que escolhem. No caso de ser Hotéis e Restaurantes, não é possível escolher cidades ou zonas que preferimos. A única coisa que escolhemos é o país e podemos pôr por ordem de preferência três funções nas quais nos podem colocar mas a escolha do destino dentro do país, será sempre mediante o que as empresas estão à procura. Eu tive a sorte da minha empresa ser na capital (estava cheia de medo que me pusessem no meio do nada mas tive um anjinho da guarda mesmo fofinho!)

Existe limite de programas? - Não, mas há programas que têm limites de idade. No entanto, se vocês quiserem fazer agora um programa de um ano num país e ir uns meses até outro e depois desse ir para outro país, é dizerem à empresa que ela ajuda-vos, mediante o pagamento dos respectivos valores, claro.

É preciso ter experiência? - Claro que ter experiência ou ser do ramo ajuda mas não é um facto obrigatório. O mais importante é saber falar inglês. ou frances, dependendo do país.

O que acontece depois do fim do programa? - Podemos ser convidados a ficar mais tempo se a empresa e se nós gostarmos do que estamos a fazer, podermos decidir voltar para Portugal, podemos fazer outro programa. Temos tantas opções.

Recomendo? - Mais uma vez, comigo correu e tem corrido bem e acho sinceramente, tal como disse antes, é uma forma que pode agradar aqueles que querem viver algo assim mas não querem sair de Portugal à sorte. Existem imensas pessoas que fazem este tipo de programas. Numa procura de alguns testemunhos encontrei a conta de instagram de um rapaz que fez um programa na Islândia, esteve na Noruega e agora trabalha na Austrália. Além disso, uma das primeiras pessoas que comecei a seguir no instagram quando percebi que estava a fazer o programa que eu queria fazer, é minha colega de trabalho.

Também Podes Gostar De

2 coments

  1. Cada vez que leio as tuas publicações sobre este assunto, fico com mais vontade de alinhar em algo assim :)

    ResponderEliminar
  2. Adorava fazer algo do género, aliás acho que devia ser quase obrigatório já que todas essas experiências enchem-nos de mundo e fazem-nos crescer tanto.

    Another Lovely Blog!, https://letrad.blogspot.com/

    ResponderEliminar